Todos os devaneios publicados ou não neste blog são dedicados a qualquer pessoa que ja sentiu pelo menos 1 ( um ) dos sentimentos mais desprezíveis dos seres humanos, ódio, inveja, saudade, solidão, arrependimento, amor. Especialmente os Ansiosos, Lunáticos, Excêntricos, Maniacos, Depressivos, com desturbios de sono, escritores, Fumantes, Alcoolatras, Maconheiros, Bipolares, que tem medo de pessoas, quem tem medo de morrer sozinho, que tem medo de amar , que tem medo de sí mesmo.

Vejo cada uma dessas pessoas passando por mim todos os dias nas ruas, na minha casa, no meu convívio, no espelho.

Essas são suas histórias, mentiras, e devaneios. Algumas ruins de se ler, outras chocantes demais para serem esquecidas.

Os Monólogos da Existência servem justamente para isso, abrir os olhos de quem cansou de deixar cegar-se, alimentar a busca da verdade e quem sabe provar que a esperança não é a ultima que morre... A Realidade ainda está pra chegar.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

E o Seu tempo... Como vai ?

--Esse é um exemplo da literatura marginal subversiva... não é? Sócio ? --


E o Seu Tempo... Como vai ?

Já devia ser umas 4:20 da tarde no céu de Goiânia, e eu procurava o meu isqueiro para acender um Marlboro vermelho – Cigarro de Verdade – enquanto o Gustavo terminava de apertar o primeiro baseado do dia.
Esse Gustavo é uma das poucas pessoas que ainda me sobraram para ter uma conversa decente. A grande maioria das pessoas está preocupada demais em serem extremamente burras, estúpidas, ignorantes, responsáveis demais e hipócritas muito além da conta.
Pelo menos com o Gustavo eu podia manter um bom e velho diálogo do jeito que tinha que ser... inteligente, plausível ( nem sempre ) e acima de tudo, sem sarcasmo... finalmente uma conversa sem um nível altíssimo de sarcasmo. E sem um nível altíssimo de burrice.

- Sabe cara... Vou sair da merda da casa dos meus pais, vou arrumar um emprego, e um apartamento no setor universitário onde eu possa ficar fumando, bebendo e escrevendo em paz....

- Sério mesmo ?

- Claro... Mas a única coisa que eu faço questão é que seja perto de um bar... de preferência DO LADO do Bar.

- Hahahaha.... – dei uma tragada longa enquanto pensava... – Sabe... uma amiga minha, acho que você até conhece, me falou que tem um apartamento de 250 paus – no Universitário – que tem água e luz incluso.

- E o aluguel ?

- O Aluguel incluso também.... Estão fazendo de tudo pra gente atoa igual nos dois terem o direito de fazer a merda que quiserem de suas vidas em um lugar “ seguro “ não é? Hahahahahha

- Continuei – E também... parece que tem 1 outro no centro, que custa 450 reais mas é bem maior... e já tem esse bagulho todo incluso e tambem o condomínio...

- Maior quanto ? Esse aí tem que ser no mínimo o dobro maior... ou não?

- Não sei cara... Ela que me falou sobre essas merdas aí... nunca vi nenhum deles... mas também velho, pra que olhar não é mesmo ? Um apartamento de 1 quarto já tava bom demais pra nós dois....- Joguei meu cigarro pela janela... e o baseado já chegava em mim- Botava duas camas no quarto, um lugar pra gente continuar escrevendo, e no dia que alguém fosse trepar... o outro dormia na sala.

- É, foda-se... por mim tudo bem, se estiver perto de um bar...

- Pra que esse desejo todo por um bar cara? Bar tem em todo lugar afinal de contas... As pessoas podem estar passando fome, miseráveis, sem cigarros, com essa merda dessa gripe suína do caralho, mas a única coisa que não pode faltar é um bar... Tem bar pra todo lugar nessa cidade... é uma pocilga pior que a outra....

- Por quê? Por quê precisa ser perto de um bar? Presta atenção velho... Eu não tenho responsabilidade nenhuma... Você também não... Do emprego, que com certeza vai ser um emprego de merda, eu vou ser demitido... O Apartamento em muito pouco tempo vai estar em condições desprezíveis... Então não me interessa, eu quero pelo menos descer, gastar o meu salário em cerveja, e beber em casa... É igual eu falei... tem que ser perto de um bar.

- É Gustavo... Realmente faz sentido... Depois de chapar eu posso continuar escrevendo meus textos...

- É ... podemos....

Parei pra analisar a formação das nuvens... Gosto muito de nuvens, muito mesmo. Olhar a natureza me faz lembrar de quão pequeno eu sou, do tanto que eu sou desprezível... Mas ao mesmo tempo, tão grande... tão extenso.. tão complexo, tão pedacinho de carne DE MERDA.
Fiquei mais ou menos uns 20 minutos sem falar nada. Nem ele. Não havia nada pra beber alem de água... acho que eu ando lendo Bukowski demais, a falta de bebida está começando a me deprimir...

- E por falar nos nossos textos Gustavo... eu tava tentando arrumar um jeito de mais pessoas lerem o que escrevemos... Sabe, vai que um dia alguém lê, gosta, compra o texto e ai eu tenho mais um dinheiro no bolso...

- Sim cara, eu também tava tentando... Mas quase ninguém visita o Blog... e esse é praticamente o único jeito de fazer alguém ler os meus poemas...

- Pois é... Eu tava tentando arrumar um jeito de mais pessoas entrarem no meu blog... mas aparentemente, as pessoas preferem ler coisas que façam elas rirem, ou chorarem, ou darem a bunda, do que ler algo que as faça pensar um pouco... Sentir um pouco de raiva... Parece que ninguém gosta de olhar pra dentro de si mesmo... Devem ficar assustados com o que podem descobrir...

- Ah cara... Ninguém da a mínima pro que a gente escreve... ninguém ta nem aí pra essas merdas não...

- Podes crer... no final das contas, isso é verdade.

Já devia ser umas 5:10 da tarde no céu de Goiânia... Alguma coisa cheirava mal, o tempo de alguma forma já estava começando a ser uma preocupação.
Juntei restos de fumo, cinzas e joguei pela janela. Me despedi do dono da casa, Gustavo também o fez.

- Vamo la pro mezanino do seu prédio fumar outro ?

- Vamos.... Mas e de lá .. pra onde?

- Sei la porra, a gente quase nunca sabe pra onde estamos indo mesmo... A gente só vai... A gente só vai...

3 comentários:

  1. a boa e velha rotina, com o bom e velho diálogo insano hduaishduis

    ResponderExcluir